A vontade de construir um negócio próprio e fazê-lo dar certo pode levar empreendedoras a um esgotamento motivado pelo trabalho, reconhecido pela pela OMS como a síndrome de Burnout.

A pessoa afetada apresenta alguns sintomas como dores de cabeça, dores na coluna, problemas intestinais, insônia, desânimo, irritação e falta de memória.

Por aqui, somos super embaixadoras do Empreendedorismo feminino, contudo sabemos que existe uma certa glamourização que o "ser empreendedora" trás em si, em que a mulher terá mais flexibilidade de tempo, liberdade, autonomia e qualidade de vida.

Sim essas questões são legítimas, porém o empreender também é uma atividade desgastante. A empreendedora se sente responsável pelo sucesso e crescimento do negócio e há uma pressão social para que ela se "mostre" realizada e disposta, uma vez que escolheu a atividade e trabalha para si mesma.

"Eu sabia que estava com muito trabalho, mas a motivação de chegar lá, de estar fazendo o que gosto e de obter reconhecimento vai te alimentando", só que "O corpo não aguenta", declara Milene Rosenthal que teve burnout quando tocava seu primeiro negócio.

A saída para a grande carga de trabalho que desencadeia esse esgotamento e estafa mental, no caso de uma empreendedora é aprender a descentralizar o trabalho, pedir ajuda e entender que isso não é sinal de incapacidade e sim que realizar o trabalho sozinha não é mais sustentável.

Nesse momento em que a empreendedora se vê com algum desses sintomas iniciais, fazer parte de uma comunidade de apoio e suporte a mulher empreendedora é muito importante!

Para que ela possa compartilhar suas dores, dividir seus desafios com outras mulheres, receber o suporte, acolhimento e empatia é extremamente importante na prevenção do esgotamento, declara a psicóloga Maria da Conceição Uvaldo.

Lembrando que o Burnout deve ser diagnosticado por psicólogos, psiquiatras ou médicos do trabalho.

O tratamento envolve terapia e medicação.

Mas, para ser efetivo, exige uma mudança de estilo de vida e na relação com o trabalho.

Alguém já passou, está passando ou conviveu com alguém com Burnout?

Posted in _

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *